Resenha: Um Gato de rua chamado Bob – A história da amizade entre um homem e seu gato


Título Nacional: Um Gato de rua chamado Bob
Autor: James Bowen
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Volume: 01
Número de páginas: 236
Esmeraldas:


"Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks). Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias. Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados. Um Gato de Rua Chamado Bob é uma história comovente e edificante que toca o coração de quem a lê."


Uma história diferente, sobre sofrimento com drogas e a importância de uma amizade, mostra como uma vida salvou duas. James era um viciado em heroína que já havia perdido tudo, morava num alojamento subsidiado, tentava livrar-se do vício, porém sem sucesso, enquanto fazia apresentações nas ruas de Londres para ganhar o pouco que o sustentava. Numa certa noite Bob, o "gato laranjinha", aparece em seu corredor pedindo ajuda. Para quem nem conseguia cuidar de si mesmo, ter outra vida nas mãos era um desafio e tanto. A forma como a narrativa nos leva a pensar nas piores hipóteses para o futuro das personagens e acaba nos surpreendendo com fatos realmente positivos e é marcante, prende a atenção e não te deixa sair. É como se a partir do momento que começa a leitura, você caminha na história junto com eles. Como James morava sozinho, passou a levar Bob com ele, enquanto fazia suas apresentações para arrecadar o pouco de dinheiro que os sustentavam. Juntos faziam sucesso, o gato chamava a atenção das pessoas que passavam nas ruas. Comportado e sempre carinhoso, Bob acomodava-se na mala do violão e ali ficava até o fim das apresentações.

"Todo mundo precisa de um tempo, todo mundo merece uma segunda chance. Bob e eu agarramos a nossa."

Os dois conseguiram, juntos, superar os problemas e viver com qualidade. As pessoas ficavam marcadas pelos dois, sempre que voltavam a passar pelo caminho traziam guloseimas e brinquedos para o gato. Em um momento como esse, Bob ganha um cachecol de uma fã, para que se protegesse do frio. Todo o dinheiro arrecado com as apresentações era destinado ao gato primeiro, com as melhores rações, aperitivos e brinquedos, e com o que sobrasse Bowen se alimentava. Baseada em fatos reais, nos leva a refletir sobre nosso posicionamento perante aos que passam pela desintoxicação ou não estavam numa situação favorável. É comum presenciarmos, ou até mesmo vivenciarmos, cenas em que as pessoas ignoram outras simplesmente pela situação em que se encontram, não dão atenção e muito menos credibilidade. A capacidade de um animal de estimação em perceber que, dentro de James, ainda existia uma pessoa boa e capaz de superar tudo e reatar sua vida é incrível, praticamente um “tapa na cara da sociedade”. Hoje em dia os Bob e James ainda se apresentam pelas ruas de Londres, porém, o sucesso é tanto que ele mal consegue cantar pois os fãs chegam para pedir fotos, fazer carinho, comprar um exemplar do livro (que vem autografado pelos dois). Realmente fiquei apaixonada pela história, tudo começou por conta de um gato na capa, mas James ganhou minha atenção, meu coração e respeito. Uma história de superação e amizade que me fez rir, chorar e amar.

Espero que vocês gostem...

Com carinho,
Yeah.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.