Coluna da Dorothy: Ah, se eu tivesse sabido!


Pergunte a uma pessoa de idade, que você considere ser experiente na vida, se ela se arrepende de ter feito algo na sua juventude, algo que se ela tivesse o conhecimento que a idade lhe trouxe, se ela teria vivido a vida de outra forma ou então feito coisas que na época não pareciam tão importante, mas agora ela enxerga o quão importante são.

Há algum tempo uma pessoa muito especial para mim me falou de um livro que havia mudado sua vida, com um nome peculiar o qual eu apesar de muita pesquisa na internet acabei não encontrando em lugar nenhum, sebos, livrarias onlines, nem nada do gênero. Apenas encontrei o nome do autor que estava na capa, um uruguaio chamado Sabát. Esse livro tem ensinamentos muito bons, e sinceramente, o tipo de ensinamentos que diriam “uau, isso faz todo o sentido”. Não sei muito sobre a vida do autor, já que no prefácio é revelado que na realidade o livro foi inspirado em uma carta, enviada de um amigo para o outro. O nome desse livro tão importante é “Ah, Se eu tivesse sabido...”, e após ler algumas páginas e refletir sobre aquilo que estava escrito, eu pensei comigo mesma como aquilo era importante, e como aquilo poderia mudar a minha vida e das pessoas que estão a minha volta.

O livro é composto apenas de frases, conselhos, provavelmente que você ouviria dos seus pais se não fosse jovem e esnobe o suficiente para achar que sabe tudo da vida aos 15 anos de idade, porém, peço que tente refletir comigo sobre alguns conselhos dados. O primeiro da lista é: “Elogie três pessoas todo dia”. Para alguns, isso não é nada, mas para outros isso pode valer muito. As pessoas que estão a nossa volta não refletem o que realmente está acontecendo dentro delas. Um simples “você está muito bonita (o)” pode fazer uma grande diferença para alguém que está num dia ruim, ou então tem problemas de autoestima, assim como um “bom trabalho” para um funcionário, ou um colega de sala. Nunca sabemos como está o dia das pessoas ao nosso lado, não sabemos quais pessoas nos tem como espelho e se importam com o que dizemos, pessoas que precisam de uma palavra positiva naquele momento. Um simples gesto pode fazer muita diferença.

A próxima é realmente o tipo de conselho que as pessoas mais velhas diriam “ah, se eu tivesse sabido”, para alguns pode ser bobagem agora, mas levem a sério: “Não fique preocupado em ter um bom automóvel, mas tenha a melhor casa possível”. Seu carro é simplesmente sua forma de se locomover, claro que para alguns é uma forma de se exibir, mas isso não é o mais importante na vida. É dentro de sua casa que você passa os momentos familiares mais importantes, é a necessidade de você ter uma casa boa e que te faça se sentir bem mesmo dentro dela. O carro vai para a garagem e fica lá no fim do dia, e você vai para onde? Existem casas e casas. Existem casas que chegamos no fim do dia e relaxamos o corpo, o deixando descansados para o dia seguinte. E existem casas que relaxam a nossa alma para a vida.

O terceiro e último conselho que irei colocar nessa coluna é: “Nunca seja o primeiro a sair de um abraço”. Nunca seja o primeiro a desfazer um abraço, deixe que ele se mantenha até o momento que ele deve, aproveite de verdade o contato. Não apenas, mas principalmente com amigos e familiares, como eu já disse, nunca sabemos o quão importante nós somos para as outras pessoas, assim como nunca sabemos pelo que eles estão passando. Um abraço bem dado pode aliviar a dor ou o peso das piores coisas, não se tira esse privilégio.

Não é difícil ouvirmos as pessoas dizerem: “Eu gostaria de voltar a ser jovem com a minha sabedoria de agora”. Sinceramente, eu acredito que seja essa a ideia do livro. Passar de uma forma simples a sabedoria de uma pessoa mais velha, para que nós, jovens, tenhamos menos arrependimentos quando formos mais velhos. A pessoa especial que me revelou este livro foi meu namorado. Depois de ter mudado a vida dele, e com isso mudado a minha vida indiretamente, comecei a lê-lo também, o que me abriu os olhos aos pequenos detalhes da vida. Então ao meu amor, Guilherme Sodré, o meu muito obrigada por ter trazido esses ensinamentos para minha vida, não só me tornando alguém melhor, mas também nós dois melhores, como casal. Eu te amo. E por favor, se vocês gostarem do que escrevi, deixem escrito nos comentários.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.